Corpo Docente


Nome Lucas Robatto
Email robattolucas@gmail.com
Nasceu em 1966 em Salvador, Bahia, e em 1977 iniciou seus estudos musicais na Escola de Música da Universidade Federal da Bahia com os professores Elena Rodrigues e Oscar Dourado.

Entre 1986 e 1992 estudou na Escola Estatal Superior de Música de Karlsruhe (Alemanha) na classe da professora Renate Greiss-Armin, onde em 1990 graduou-se como Músico de Orquestra e em 1992 completou Curso de Aperfeiçoamento Artístico (equivalente ao Master of Music). Durante este período foi bolsista do DAAD (Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico), e da Fundação Vitae, além de exercer diversas atividades artísticas e didáticas. Entre 1997 e 2001 cursou e completou o Doutorado em Flauta da Universidade de Washington, Seattle (Estados Unidos), com o professor Felix Skowronek, defendendo a tese José Maurício Nunes Garcia's Symphonic Works: Style and Models, uma abordagem musicológica histórica sobre a música no Brasil no período entre os sécs. XVIII e XIX. Durante todo o doutorado foi bolsista da CAPES.

Tem participado de numerosos cursos e festivais de música - como bolsista e artista convidado - no Brasil, Itália, Alemanha, Suiça, Argentina, Estados Unidos e Canadá, tendo estudado com professores como Odete Ernest Dias, Expedito Viana, Norton Morozowicz, Antônio Carrasqueira, Peter-Lukas Graf, Patrick Gallois, entre outros. Em 1982, aos 16 anos de idade, ingressou na Orquestra Sinfônica da Bahia, onde passou a ocupar o cargo de 1 flautista /chefe de naipe, a partir de 1991. Em 1992 foi contratado como professor de flauta da Escola de Música da Universidade Federal da Bahia, onde atualmente é Professor Adjunto de flauta, lecionando na graduação e pós-graduação (mestrado e doutorado). Nesta instituição exerceu os seguintes cargos: Vice-Diretor da Escola de Música, Coordenador do Colegiado do Bacharelado Interdisciplinar em Artes (Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Prof. Milton Santos), tendo participado da equipe de elaboração e implementação deste último. Atualmente é o Coordenador Acadêmico da Escola de Música da UFBA.

Lucas Robatto atuou como músico convidado em diversas orquestras, tais como: OSESP, Orquestra da Companhia Brasileira de Ópera, Orquestra Sinfônica da UFBa., Orquestra Sinfônica da Escola Superior Estatal de Música de Karlsruhe, Bach Akademie-Stuttgart, Orquestra do Teatro Arthur Azevêdo - Maranhão, entre outras. Como solista teve a oportunidade de apresentar-se diversas vezes frente a orquestras como a Orquestra Sinfônica da UFBa, Orquestra Sinfônica da Bahia, Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Orquestra Municipal de Campinas, Orquestra da Universidade de Washington e Orquestra da Chamber Music San Juans, entre outras. Além de sua intensa atividade como recitalista, tem atuado como camerista com os seguintes grupos estáveis: Bahia Ensemble, Quarteto de Madeiras da Bahia, Contemporary Ensemble da Universidade de Washington, Chamber Music San Juans, Duo Robatto e GIMBA.

Lucas Robatto foi premiado nos seguintes concursos nacionais e internacionais: Concurso Eldorado (1995), Concurso de Música de Câmara Santa Marcelina – SP (1995), Concurso Jovens Cameristas – Paraiba (1996), Concurso Internacional de Música de Câmara de Buenos Aires (1996), Concerto Competition da Universidade de Washington (1998) ) e Prêmio BRASKEM Arte e Cultura - Bahia (2002). Em 2002 Lucas Robatto, juntamente com Pedro Robatto - clarineta, lançou o CD "DUO ROBATTO" com obras para flauta e clarineta. Em 2003 Lucas Robatto participou de uma turnê como camerista pela Suíça e Alemanha. Em 2004, 2005 e 2006 foi o professor de flauta dos Verões Musicais (Gramado e Canela-RS); em 2004 e 2005 foi o professor de flauta do Festival de Inverno da Unisinos (São Leopoldo –RS); em 2009 foi o professor de flauta do CIVEBRA (Cursos Internacionais de Verão de Brasília); em 2011 foi professor de flauta do II Encuentro Juvenil Música para Todos (Córdoba – Argentina); em 2011 e 2012 foi professor de flauta nos 22o e 23o Festival Internacional de Música Colonial e Música Antiga (Juiz de Fora, MG); e em 2012 foi professor de flauta no III Festival Internacional de Música de Campina Grande (PB). Desde 2004 é o representante oficial no Brasil da Ernst Widmer Gesellschaft (Suíça). Entre 2006 e 2010, Lucas Robatto ensinou no curso de graduação do Conservatório Carlos Gomes em Belém do Pará.

Em paralelo às suas atividades artísticas e pedagógicas, Lucas Robatto atua na área da pesquisa musicológica, tendo apresentado e publicado trabalhos acadêmicos na área de musicologia histórica em diversos eventos científicos no Brasil e exterior, tais como: Encontro da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Música - ANPPOM (2003), Encontro Nacional de Musicologia Histórica – Pró Música, Juiz de Fora (2001, 2003, 2008), Coloquio Internacional de Musicologia – Casa de las Americas, Havana, Cuba (2003), Colóquio Luso Brasileiro em Musicologia Histórica – Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, Portugal (2008), Colóquio-Encontro Nordestino de Musicologia Histórica Brasileira (2010), entre outros.

Desde 2001 desenvolve pesquisas relativas ao Teatro São João da Bahia.


Topo