Corpo Docente


Nome Eduardo Conde Garcia
Email eduardo@condegarcia.com.br
O pianista Eduardo Conde Garcia iniciou seus estudos em 1985, aos 15 anos, em sua cidade natal, Aracaju, sob a tutela do professor Paulo César Prado. Apesar de ter se interessado tardiamente pelo instrumento, tal fato não coibira a paixão e o entusiasmo do jovem Eduardo que sonhava, desde então, em abrilhantar palcos e arrebatar platéias da música clássica com sua musicalidade e expressão, que se mostraram latentes desde as primeiras aulas.

Em 1988, conheceu a pianista Daisy de Luca no 38º Festival de Férias de Teresópolis (RJ). Essa experiência marcante o fez mudar para São Paulo, nesse mesmo ano, com o intuito de lapidar sua musicalidade e técnica com a referida professora, que o introduziu à escola pianística de Magdalena Tagliaferro.

De 1989 a 1992, cursou o Bacharelado em Música da UNICAMP. Após a transferência de Daisy de Luca para os EUA, deu continuidade aos seus estudos com Yara Bernette. Foi sob sua orientação que Eduardo apresentou, juntamente com a violinista Celisa Frias, no “Festival Mozart”, uma série de sonatas para violino e piano do compositor, em Aracaju-SE, em 1991. O ano de 1992 foi produtivo e transformador. Eduardo participou de masterclass, na Faculdade de Artes Santa Marcelina (SP), com Paul Rutman (EUA), pianista reconhecido como “poeta dos sons”, finalista do Concurso Tchaikovsky (Moscow) e Doutor em Música pela Juilliard School (NY). Dr. Rutman mostrou-lhe um universo novo, no qual a música está sempre acima dos desafios técnicos. Seu legato arrebatador e gama de dinâmicas inigualável chamaram a atenção do jovem pianista que, a partir de então, almejou dar continuidade a seus estudos nos EUA.

Em 1994, deixou o Brasil para cursar o Mestrado em Música na University of Hartford (Hartt School of Music), no Estado de Connecticut (EUA), na classe de Paul Rutman. Um momento doloroso arruinou sua motivação e expectativa poucos meses após sua chegada: fortes dores nos cotovelos o levaram a repensar sua técnica. Passou então a estudar com Luiz de Moura Castro. Em 1996, voltou a estudar com Paul Rutman, com quem permaneceu até o ano de 1999. Com uma técnica mais segura, Eduardo, nesta fase, pôde aproveitar o que Dr. Rutman tem de melhor a transmitir aos seus pupilos: refinamento do toque legato e extremo bom gosto na busca dos diversos degradés de intensidade sonora. Paralelamente aos seus estudos, neste período também lecionou piano na Tabor Arts Center, em Branford, CT. Em 1999, foi aceito para o Doutorado em Música da University of Arizona, em Tucson, AZ, sob a orientação de Nohéma Fernández e Nicholas Zumbro. Lá, foi monitor de classes de graduação, consolidou seus conhecimentos técnico-interpretativos e aprofundou-se, sobretudo, na teoria avançada da música e na pedagogia pianística, tendo tido grande influência de Lisa Zdechlik.

Após concluir o curso, em 2002, Eduardo retornou ao Brasil. Em 2004, foi admitido como professor de piano da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), onde ainda hoje é credenciado como orientador da pós-graduação. Nesta instituição, tive o imenso prazer de ter sido sua primeira aluna de Mestrado. Sua organização acadêmica minuciosa e seu lastro pedagógico perfeccionista me impactaram profundamente e reconduziram minha prática pianística. O “legato de Beethoven” bem como a busca de um vasto leque de possibilidades sonoras tornaram-se marca registrada de sua filosofia, que o faz ser admirado e lembrado ainda hoje por uma vasta legião de seus discípulos.

Desde 2007, leciona Piano, Música de Câmera, Pedagogia Pianística, e assume cinco coordenações na Universidade Federal da Bahia (UFBA). Sua contribuição pedagógico-intelectual nesta universidade permanece e se manterá, ao longo dos anos, intocável e indelével.

Por: Priscila Gambary Freire

Website: www.condegarcia.com.br


Topo