Corpo Docente


Nome Paulo Costa Lima
Email paulocostalima@terra.com.br
Graduação em Composição, Bachelor of Music (with Honors) na University of Illinois (1977) e Mestrado em Educação Musical também obtido na University of Illinois (1978) tendo recebido orientação de Herbert Brün, Ben Johnston e Richard Cowell. Doutorado em Educação pela UFBA (1999) com Tese sobre a Pedagogia da composição de Ernst Widmer e um segundo Doutorado em Artes, pela Universidade de São Paulo (2000), com Tese sobre a Relação entre superfície e estrutura na música octatônica de Ernst Widmer. Professor da Universidade Federal da Bahia desde 1979, atuando na graduação e na pós. Registra em seu catálogo 90 composições e 300 performances destas, em mais de 15 países, levando a participações em festivais no Carnegie Hall (1996), no Lincoln Center (2001), em Seattle (Orquestra Sinfônica de Seattle), na sala Rode Pompe (Bélgica), na KonzertHaus de Berlim (2004), em Campos de Jordão, na Sala Cecilia Meireles, Sala São Paulo, Teatro Brás Cubas (Santos), tendo merecido crítica do New York Times e do Deutscher Zeitung e verbete do Grove Dictionary of Music and Musicians (2001). Já publicou três livros (1999, 2005 e 2010) e organizou outros dez. Vem publicando artigos e capítulos de livro (cerca de 40) em edições nacionais e internacionais, desde 1981, quando criou a Revista Art na UFBA. Ao longo de sua carreira já foi Chefe de Depto e Diretor da Escola de Música, tendo sido o responsável pela retomada dos Seminários Internacionais de Música, pela criação da Pós-Graduação nesta área, e pela criação do Memorial Lindembergue Cardoso com ampliação do espaço físico da Escola. Foi Pró-Reitor da UFBA em duas gestões (1996-2002), tendo sido responsável pela concepção e implementação do Programa UFBA em Campo e ACC-Atividade Curricular em Comunidade, pela aproximação entre Universidade e Carnaval, pela criação da TV UFBA e Rede de Outdoors, entre outras realizações. Presidente da Fundação Gregório de Mattos (2005-2008), órgão responsável pela cultura em Salvador, deu atenção especial à relação entre cultura e participação popular, especialmente através de diálogos entre cultura letrada e ancestralidade, implantou a Lei Municipal de Incentivo à Cultura - Viva Cultura, restaurou a Casa do Benin, lançou o Programa Capoeira Viva 2007, criou o Conselho Municipal de Cultura, o portal de cultura da FGM, o Festival 'Viva Salvador', os programas 'Mestres Populares da Cultura' e 'Estação Cultura', entre outros, lançando mais de 50 produtos (livros, CDs e vídeos), tendo sido homenageado com a mais alta comenda do Legislativo Municipal, a Medalha Thomé de Souza. Membro fundador da Congregação do IHAC (Instituto de Humanidades, Artes e Ciências da UFBA) e co-autor do Projeto de BI das Artes (2008). Membro fundador do grupo OCA de composição e Professor-Orientador de uma nova geração de compositores baianos tais como Alex Pochat, Guilherme Bertissolo, Joelio Santos, Paulo Rios Filho, Paulo Santana e Juliano Serravale. Seus principais interesses de pesquisa são: composição e semântica cultural, ensino de composição, música e psicanálise, gestão da cultura e da universidade. Foi consultor do Fórum Mundial de Cultura, Fórum Mundial de Turismo (Odebrecht - Instituto de Hospitalidade), participou e presidiu a Câmara de Letras e Artes da FAPESB (2003-2005), retornando em 2009 como membro, ingressou no Instituto Geográfico e Histórico da Bahia-IGHBA a partir de 2007. Foi pesquisador do CNPq a partir de 1983, reingressando no sistema posteriormente como pesquisador com bolsa de produtividade. Escreve regularmente para o portal Terra Magazine (âmbito nacional) e colabora com o Jornal A Tarde (Salvador-Ba) desde 1981, já tendo publicado mais de duzentos artigos. Membro do Conselho de Cultura do Estado da Bahia (2007-2010). Foi eleito em 2009 para a Academia de Letras da Bahia na cadeira 8, tendo como patrono Cipriano Barata, e em 2011 para a Academia de Ciências da Bahia, como membro fundador.


Topo